Pular para o conteúdo principal

O chute mais caro do Brasil


Muita gente não viu, mas ontem na abertura da Copa do Mundo, o primeiro chute na Arena Corinthians foi dado por um paraplégico. Juliano Pinto, de 29 anos, usava o exoesqueleto desenvolvido pelo neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, que prometeu fazer um jovem andar no campo e chutar a bola. O movimento, que passou quase despercebido, já que o jovem não andou, foi uma demonstração do Projeto Andar de Novo, que recebeu um investimento de 33 milhões de reais do governo federal.
Longe de mim, que sempre defendi a promoção da ciência, ir contra a qualquer estudo cujo objetivo é alcançar formas de movimentar o corpo humano. Contudo, a viabilidade e o investimento colocado no projeto, diga-se de passagem, com dinheiro público, não podem deixar de ser questionados.
Com 33 milhões de reais, poderíamos realizar diversas pesquisas em prol da cura de paralisias e a reversão de doenças paralisantes e lesões medulares. Com uma pequena parte desse dinheiro, faríamos pesquisas voltadas para a ELA (esclerose lateral amiotrófica), doença degenerativa e progressiva que atinge cerca de cinco mil brasileiros por ano. Enquanto se investe seis vezes mais para demonstrar ao mundo o chute de um paraplégico, pacientes da ELA vivem (ou sobrevivem) sem perspectivas de um futuro.
Com 10% do investimento grandioso do exoesqueleto, poderíamos investir em outras pesquisas úteis voltadas para o estudo da diabetes, esquizofrenia, Alzheimer, Parkinson, entre outras doenças cujo tratamento e a cura são alvo de cientistas de todo o mundo, inclusive dos profissionais brasileiros, que hoje trabalham com recursos públicos vergonhosos.
Ainda, com os 33 milhões investidos no projeto de Nicolelis, cerca de 6.600 brasileiros receberiam uma cadeira de rodas motorizada. É mais que o dobro fornecido pelo SUS no ano passado, quando distribuiu aproximadamente 2.900 cadeiras, segundo a Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS).
Pensando em robótica, com o mesmo valor investido no Projeto Andar de Novo, o Brasil conseguiria adquirir 27 aparelhos da Lokomat, que ao invés de um chute, consegue fazer tetraplégicos de fato andar em uma esteira ultramoderna com um robô encaixado na perna que faz o movimento da marcha.
E se pensarmos em reabilitação, área miserável em nosso país, conseguiríamos construir, equipar e custear, por um ano, cinco centros de reabilitação no Brasil, utilizando como base de cálculo a própria portaria 835/2012 do Ministério da Saúde que institui incentivos financeiros nessa área.
Por isso, o exoesqueleto, mesmo sendo um avanço científico, não é um projeto promissor ao brasileiro com deficiência, que por mais vontade que tenha em voltar a andar, ainda carece do básico.
Além de todos esses motivos e tantos outros que estenderiam a discussão por horas, o exoesqueleto não é funcional: pesa 70 quilos. Já imaginou o que seria andar carregando esse peso com você? Também não podemos deixar de falar que houve falta de publicação de trabalhos científicos mostrando os resultados da pesquisa, já que Nicolelis publicou artigos detalhando os testes só em macacos ou ratos.
Dado o chute inicial da Copa, espera-se, ao menos, que seja mantido o laboratório de robótica construído na AACD e que o projeto fique de legado para a população que de fato carece de atendimento em reabilitação.
Assista ao vídeo do chute inicial da Copa: https://www.youtube.com/watch?v=TbVz8xZCVuk
Descrição da imagem para cego ver: Jovem com exoesqueleto acoplado ao seu corpo, com roupa do Brasil, estica a perna direita para chutar a bola sob um tapete vermelho estendido no campo. Ao seu redor, pessoas o auxiliam.
Por:Mara Gabreill

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Risco de deslizamento e interdição de Ruas em Palmeirina-PE

Palmeirina está em estado de alerta devido às intensas chuvas que ocorrem na região desde o mês de maio. A Rua Frei Caneca foi a mais afetada, sendo obrigatoriamente interditada e desocupada pela Defesa Civil do estado no intuito de preservar a integridade física dos moradores. A prefeitura da cidade está monitorando os pontos mais críticos e tomando as devidas providências junto àCodecipe – Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco, Corpo de Bombeiros e a equipe do Governo Municipal, várias casas estão danificadas e já houve caso de queda de uma das residências. O prefeito da cidade, Marcelo Neves, tranquilizou a população e pediu para que fiquem atentos, o solo da área afetada de acordo ao engenheiro do governo municipal e a Codecipe está totalmente solto podendo haver deslizamento a qualquer momento. Equipes do governo trabalharam na retirada das famílias prejudicadas, como medida preventiva e estão tomando as medidas necessárias.
















8 de março Dia Internacional da Mulher!!!

Homenagear é preciso.....



PREDNISONA E CORTICOIDES

(Efeitos colaterais dos corticoides)

Sou uma vítima dessa medicação, os efeitos estéticos dos corticoides são os que mais incomodam os pacientes, principalmente as mulheres. Cerca de metade dos indivíduos que usam, pelo menos, 20 mg diários de prednisona, ou dose equivalente de qualquer outro corticoide, por três ou mais meses irão apresentar efeitos colaterais estéticos.Eu fiz uso por mais de 2 anos.
Um sinal típico da toxicidade pelos corticoide é o desenvolvimento da aparência “cushingóide”, que se caracteriza por uma face arredondada (chamada de fácies em lua), pelo acúmulo de gordura na região posterior do pescoço e das costas (chamado de corcova ou giba de búfalo) e pela distribuição irregular da gordura corporal, com predomínio na região abdominal e tronco. Este efeito colateral é um dos mais incômodos, pois ele muda muito a aparência do paciente, principalmente nas pessoas que eram previamente magras. A síndrome de Cushing surge, habitualmente, dentro dos 2 primeiros meses de tr…