Pular para o conteúdo principal

QUANTO VALE O SEU RESPEITO?


Existem dias em que carrego uma certeza no coração: as pessoas acreditam que sou cadeirante por opção. Sim, eu creio nisso e essa certeza se confirma todas as vezes em que meus direitos são ignorados. Dá pra imaginar qual é a frequência desse sentimento, né?
Mas, ao contrário do que alguns espiritualizados possam imaginar, eu não escolhi essa vida. É sério, se pudesse teria outra. Quem acha legal viver com uma doença que te impede de trabalhar? Ou ficar sentada horas em uma cadeira sentindo seu corpo se ferir? Se existe alguém assim, por favor, não me apresentem.
Sei que não dá pra mudar essa realidade, infelizmente. Nesse caso, bora viver? Até aí, podemos levar. A gente engole uma tristeza aqui, adquire força ali, chora alguns dias pra desabafar, respira para não enlouquecer, ri dos absurdos, tira sarro das limitações e os dias vão passando. Não é que a gente ignora, apenas resolvemos viver.
Isso mesmo. Por pior que seja nossa deficiência, acredite em mim: queremos viver! E nesse caso, queremos fazer todas as coisas que vocês "saudáveis e andantes" fazem, ou seja, ir e vir tomando e sendo responsáveis pelas nossas decisões (quando tivermos cientes do que estamos escolhendo). Queremos ter acesso aos direitos universais e civis que todos vocês tem.
Contudo, pelo que vejo isso não é legal para muitos de vocês. Sei lá, parece que custa muito nos respeitar. Deixar de estacionar na vaga especial, dar a vez em uma fila, colocar rampas em estabelecimentos, adaptar banheiros e bebedouros, dar licença quando ver uma pessoa passar, dentre tantas outras coisas devem ser pesadas demais pra vocês, não é? Imagino. Afinal, só se pensa nas minorias quando se é uma delas. Caso contrário, é problema dos outros.
Pois bem, pensando nisso, tenho uma ideia: vamos criar um fundo nacional das pessoas com deficiência. Seria uma espécie de conta bancária onde cada cidadão com necessidade especial faria um depósito mensal de qualquer valor que será usado com vocês, normais, toda vez que não quiserem "conceder" nossos direitos. Exemplo: você, cadeirante, precisa passar entre mesas em um restaurante e um grupo de pessoas mesmo te vendo resolvem ignorá-lo. Nesse caso, você pega o cartão desse fundo e pergunta à eles: quanto vale pra arredarem as mesas? Faz o pagamento e pronto. Simples!
Parece bizarro? Não acho, quem sabe, dessa forma, não teremos mais sossego para seguir nossas vidas e sofrer por tantos outros motivos que não seja a deficiência? Quem sabe, um dia, o acesso será tão amplo que deixará de ser especial? Talvez, nós, brasileiros com deficiência tenhamos a oportunidade de viver nessas terras sem enfrentar tanto abuso e desrespeito aos nossos direitos.
Mas isso eu já sei... Será um dia. Não hoje.

Por: Fatine Oliveira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Risco de deslizamento e interdição de Ruas em Palmeirina-PE

Palmeirina está em estado de alerta devido às intensas chuvas que ocorrem na região desde o mês de maio. A Rua Frei Caneca foi a mais afetada, sendo obrigatoriamente interditada e desocupada pela Defesa Civil do estado no intuito de preservar a integridade física dos moradores. A prefeitura da cidade está monitorando os pontos mais críticos e tomando as devidas providências junto àCodecipe – Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco, Corpo de Bombeiros e a equipe do Governo Municipal, várias casas estão danificadas e já houve caso de queda de uma das residências. O prefeito da cidade, Marcelo Neves, tranquilizou a população e pediu para que fiquem atentos, o solo da área afetada de acordo ao engenheiro do governo municipal e a Codecipe está totalmente solto podendo haver deslizamento a qualquer momento. Equipes do governo trabalharam na retirada das famílias prejudicadas, como medida preventiva e estão tomando as medidas necessárias.
















Jesus está vivo!! Eu falei com ele hoje!!

"Por que procuram entre os mortos Aquele que VIVE?"

Cristo ressuscitou como havia prometido, depois de ter passado por tamanho sofrimento sendo crucificado, revive gloriosamente, vence a morte e mostra-Se ressuscitado aos demais que O viram ser morto.
Será que Cristo apareceu a mais alguém após a sua morte? 
Há muito testemunho bíblico das aparições de indivíduos diferentes após a sua ressurreição. Na realidade, as narrativas sobre a ressurreição listam cerca de 12 aparições diferentes de Cristo, começando com Maria Madalena e terminando com o apóstolo Paulo. Essas aparições não podiam ter sido alucinações, devido à variedade de situações e ao número de pessoas envolvidas - não existe tal coisa como uma "alucinação em grupo". Além disso, essas aparições foram de natureza física e tangível, como evidenciado pelas ações de Cristo (por exemplo, comer com os discípulos e sugerir que eles tocassem sua face e mãos). Seu corpo ressurreto, apesar de imortal, foi sem dúvida um…

Alegra-te com a mulher da tua mocidade.

20 ANOS CEGO!!  Há muito tempo atrás, um casal de idosos que não tinha filhos, morava em uma
 casinha humilde de madeira, tinha uma vida muito tranquila, alegre, e ambos
 se amavam muito.Eram felizes. Até que um dia...Aconteceu um acidente com a senhora.
 Ela estava trabalhando em sua casa quando começa a pegar fogo na cozinha
e as chamas atingem todo o seu corpo.O esposo acorda assustado com os gritos e vai a sua
 procura, quando a vê coberta pelas chamas e
imediatamente tenta ajudá-la. O fogo também atinge seus braços e,
mesmo em chamas,
consegue apagar o fogo.
 Quando chegaram os bombeiros
 já não havia muito da casa,
 apenas uma parte, toda destruída.
 Levaram rapidamente o casal para o hospital mais próximo,
 onde foram internados em estado grave.
 Após algum tempo
 aquele senhor menos atingido pelo fogo
 saiu da UTI e foi ao encontro de sua amada.
Ainda em seu leito a senhora toda queimada,  pensava em não viver mais,
pois estava toda deformada,